terça-feira, outubro 17, 2006

ontem à noite,

depois de um ou dois telefonemas Famalicão era o destino. Esperava-nos um jantar saboroso e sobremesa especial em ambiente bem caseiro. Seguimos, acompanhados do Super Homem (da massa à bolonhesa) rumo à Casa das Artes.

A primeira vez que tivemos a oportunidade para ver Final Fantasy ao vivo saiu defraudada, já que o ambiente festivaleiro e o concerto em espaço aberto não ajudou em nada. Mas da segunda, correu tudo pelo melhor. Sala composta para um concerto bem quente. Owen Pallet não surgiu como personagem de um jogo Nintendo, mas simples e de meias. O violino parecia fazer parte dele. Pequenos excertos sobrepostos resultavam na peculiaridade de cada música. A certa altura, um dèjá-vu; Andrew Bird, no mesmo local e o mesmo conceito. Final Fantasy teve um extra, uma companheira de estrada, que ilustrou algumas músicas com acetatos especialmente criados para o espetáculo.

Como se durante 1h30 pudessemos regressar à infância ou como se fosse possível acarinhar as angústias da simplicidade.




fotografia: Nuno Dias

Etiquetas:

1 Comments:

Anonymous Rui Ribeiro assimilou...

Para os interessados já agora a minha visão do concerto de Famalicão no Som Activo!

Boas leituras!

10:16 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home